SWR Barroselas Metalfest XX:
20 Bandas a não perder! [parte 1]

Por esta altura – umas estóicas duas décadas depois da primeira edição! – já não restam grandes dúvidas em relação ao carácter essencial e incontornável do SWR BARROSELAS METALFEST como mostra do que de melhor o movimento de peso extremo tem para oferecer.

Este ano, durante o fim de semana de 28 a 30 de Abril, a já habitual selecção aprimorada da nata do underground vai passar uma vez mais pelos três palcos instalados na irredutível vila minhota, num evento que continua a arrastar multidões ano após ano. Para vos facilitar um pouco a vida, e porque sabemos que, infelizmente, os festivais deste género se fazem também de escolhas, a redacção da LOUD! decidiu ir novamente a votos e dizer-vos o que não podem mesmo perder no SWR XX.


Factos: São, e serão, para sempre, a “prata da casa”. Death metal obscuro, cavernoso, monolítico e devastador. Depois de vários anos arredada das lides, a banda formada pelos irmãos Ricardo e Tiago Veiga ensaia um regresso muito especial ao palcos para comemorar duas décadas de SWR.
Origem: Portugal
Ano de formação: 1997
Lançamento mais recente: «In Eminent Disgrace» [Chaosphere/Raging PLanet/Larvae/Murder/Signal Rex, 2017]

Factos: Banda de formação recente, mas que suscita imensa curiosidade por ser o próximo passo da carreira de John Haugm depois do final dos Agalloch. O que já ouvimos remete para os primeiros, mais extremos, passos da saudosa banda norte-americana, pelo que a antecipação para a descoberta total dos Pillorian é grande.
Origem: Estados Unidos
Ano de formação: 2016
Lançamento mais recente: «Obsidian Arc» [Eisenwald, 2017]

Factos: Será uma ocasião há muito aguardada pelos fãs, quando os Cobalt largarem os malhões de «Gin» ou «Slow Forever» no palco do SWR – durante muito tempo uma banda apenas de estúdio, com a entrada de Charlie Fell para o posto de vocalista libertaram amarras e preparam-se para destruir um palco nacional pela primeira vez.
Origem: Estados Unidos
Ano de formação: 2003
Lançamento mais recente: «Slow Forever» [Profound Lore, 2016]

Factos: Um híbrido death/black interpretado por tenebrosas figuras anónimas, os The Ominous Circle são actualmente das bandas nacionais mais celebradas no estrangeiro, com a sua estreia na Osmose, «Appalling Ascension», a recolher elogios e admiração um pouco por toda a parte.
Origem: Portugal
Ano de formação: 2014
Lançamento mais recente: «Appalling Ascension» [Osmose, 2017]

Factos: De uma sinistra elegância, estes misteriosos alemães têm já uma longa discografia de discos absolutamente únicos, percorrendo sorrateiramente as fronteiras entre o doom, o death e até algum post punk. Espera-se escuridão e horror, mas cheios de classe e sofisticação!
Origem: Alemanha
Ano de formação: 2002
Lançamento mais recente: «Endstrand» [Lupus Lounge, 2017]

Factos: Toda uma instituição da música extrema nacional, os Grog continuam, no entanto, a dar cartas 26 (!) anos depois de terem esmagado os primeiros crânios, conforme prova a vitalidade estrondosa do seu novo álbum, amplamente discutido nesta mesma edição. Não arranjam melhor death/grind que isto, onde quer que procurem.
Origem: Portugal
Ano de formação: 1991
Lançamento mais recente: «Ablutionary Rituals» [Helldprod/Murder, 2017]

Factos: Super-projecto do underground black metal, que conta com elementos dos Blut Aus Nord, Behexen e One Tail, One Head, entre outros, na formação, o duo formado por Omega e Wraath é uma das mais excitantes propostas que o movimento tem para oferecer hoje em dia.
Origem: Itália/Noruega
Ano de formação: 2014
Lançamento mais recente: «The Silver Chalice»

Factos: Dave Rotten e companhia estão, finalmente, de regresso ao SWR e, certamente, não vão deixar os seus créditos por mãos alheias. Portanto, se o que procuram é death metal feito como as regras ditam, o melhor que têm a fazer é mesmo não perder a actuação de nuestros hermanos.
Origem: Espanha
Ano de formação: 1991
Lançamento mais recente: «Deathgeneration» [Xtreem Music, 2016]

Factos: Criados pelo artista visual responsável pelos cenários usados pelos Mayhem em palco, esta curiosa entidade – que conta com Flo Mournier (dos Cryptosy) e Rune Eriksen (dos Earth Electric e Aura Noir) na formação – apresenta-se como a verdadeira essência de tudo o que maléfico e vil.
Origem: Estados Unidos
Ano de formação: 2011
Lançamento mais recente: «The Malefic: Chapter III» [Auto-financiado, 2014]

Factos: Mais habituados a tocar na rua, onde calhar e lhes der na gana, conforme faziam exclusivamente no início da sua carreira, este duo nómada de origem brasileira soube ultrapassar a barreira geográfica e tornar-se um fenómeno mundial à força do seu grind/crust entusiasmante.
Origem: Brasil
Ano de formação: 2010
Lançamento mais recente: «Espécies» [Peculio, 2015]

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>