DEEP PURPLE: «Johnny’s Band» em ante-estreia [exclusivo]

Na sequência de uma actuação arrebatadora em Portugal, as lendas britânicas do rock pesado estreiam uma versão estendida do vídeo-clip de «Johnny’s Band».

Editado no seguimento de «Time For Bedlam» e «All I Got Is You», «Johnny’s Band» é já o terceiro single extraído do álbum de «inFinite», o mais recente registo de estúdio dos DEEP PURPLE. A música é um retrato afectuoso de uma banda de ficcional, que ganha rapidamente sucesso e desfruta de todas as vantagens que daí advêm. Como muitas vezes acontece, primeiro os Johnny’s Band acham que não podem correr o risco de deixar fugir os seus cinco minutos de fama, mas acabam inevitavelmente por perceber que o que realmente importa é o prazer que retiram de tocar ao vivo, mesmo quando o hype, o sucesso e a glória já desapareceram.

[PASSATEMPO]
A LOUD!, em parceria com a earMusic e a Altafonte, tem para oferecer aos nossos leitores pacotes com uma t-shirt e um poster do álbum. Para tal, basta enviarem-nos um e-mail para o endereço geral@loudmagazine.net com o assunto “PASSATEMPO DEEP PURPLE”, o vosso nome completo, morada e número de BI/CC. Ganham os mais rápidos!

ALTER BRIDGE:
Lisboa em Outubro

Fenómenos do rock musculado, os ALTER BRIDGE vêm a Portugal apresentar a novidade «The Last Hero».

Já depois de terem completado uma vitoriosa campanha do outro lado do Atlântico, na América do Sul e de terem feito uma passagem veraneante pela Europa, os titãs do hard rock ALTER BRIDGE preparam-se agora para conquistar de vez o velho continente. A The Last Hero Tour tem paragem marcada em Portugal no dia 29 de Outubro e o Coliseu dos Recreios, em Lisboa, vai receber uma banda em estado de graça.

Comandada por Myles Kennedy, famoso pela sua associação a Slash na aventura a solo do guitarrista dos Guns N’ Roses, por esta altura o quarteto norte-americano – cuja formação fica completa com 3⁄4 dos Creed – conta já com mais de uma década de carreira sólida. Um percurso constante, apoiado com solidez em canções construídas a partir de riffs e vocalizações fortes, alicerçadas em ganchos orelhudos, uma distorção musculada e solos e arranjos exuberantes, sem nunca descurar a dose de melodia necessária para manter o público atento.

Sem surpresas, é exactamente nessa fórmula testada com sucesso – os cinco álbuns que lançaram até ao momento entraram todos, sem excepção, na tabela de vendas nos Estados Unidos – que têm baseado o seu ouput criativo, espelhado em registos tão bem-sucedidos comercialmente como a estreia «One Day Remains», «Blackbird», «AB III» ou «Fortress» – de 2004, 2007, 2010 e 2013, respetivamente – e, já em 2016, «The Last Hero».

Editado no dia 7 de Outubro do ano passado, o quinto álbum dos ALTER BRIDGE mostrou o quarteto oriundo de Orlando, na Florida – formado por Myles Kennedy (voz e guitarra), Mark Tremonti (guitarra e voz), Brian Marshall (baixo) e Scott Phillips (bateria) –, a elevar de forma muito inteligente os seus níveis de excelência. Usando como fonte de inspiração o “heroísmo intemporal”, as 13 canções de «The Last Hero» transformaram-se numa espécie de missão de conquista pessoal para os quatro músicos e, no final, o resultado é, a todos os níveis, avassalador.

Os bilhetes para o concerto custam 32€ (plateia em pé) e 35€ (camarotes), à venda a partir do dia 19 de Julho, nos locais habituais.

ALICE COOPER: O shock rocker original.

ALICE COOPER estreia lyric video para o tema «PARANORMAL», que funciona simultaneamente como título do novo álbum do norte-americano.

Levantando um pouco o véu em relação ao lançamento do seus próximo álbum de estúdio daqui a duas semanas, o lendário shock rocker ALICE COOPER escolheu o dia de hoje para mostrarao mundo o tema-título do seu muito aguardado regresso aos discos.

A música já está também disponível como parte da pré-encomenda do álbum, no ITunes e no Spotify. «Paranormal» é lançado a 28 de Julho pela earMUSIC em todo o mundo.

REVERENCE SANTARÉM 2017:
Alinhamento revelado!

O REVERENCE FESTIVAL SANTARÉM acaba de anunciar o alinhamento da sua 4ª edição, quando faltam apenas alguns dias para a actualização de preço dos passes de dois dias e também dos bilhetes diários para o evento.

O REVERENCE FESTIVAL SANTARÉM que, em 2017, se realiza na idílica zona do Parque da Ribeira de Santarém, localizado nas margens do Rio Tejo, no Ribatejo, vai contar com os nacionais MOONSPELL e os belgas AMENRA e OATHBREAKER como cabeças-de- cartaz no primeiro dia do certame, 8 de Setembro, sexta-feira, sendo que os japoneses MONO, os ingleses GANG OF FOUR e os suecos TRÄD GRÄS OCH STENAR encerram o festival, no dia seguinte, 9 de Setembro, Sábado.

Além dos cabeças-de- cartaz, o primeiro dia do REVERENCE SANTARÉM vai contar também com os SINISTRO, BO NINGEN, 10000 RUSSOS, DESERT MOUNTAIN TRIBE, NÉVOA, WILDNORTHE, THE GLUTS, DEAD RABBITS, PRETTY LIGHTNING, ZARCO, GOSSAMERS, TREN GO! SOUNDSYSTEM, THE MELANCHOLIC YOUTH OF JESUS, CUT, TWO PIRATES AND A DEAD SHIP, QUENTIN GAS & Los ZÍNGAROS, IGUANA e F'RRUGEM.

No alinhamento do segundo dia do evento constam os THE UNDERGROUND YOUTH, SIENA ROOT, ESBEN AND THE WITCH, LOBO, HILLS, THROW DOWN BONES, IS BLISS, THE JANITORS, NONN, PÁS DE PROBLÈME, ASIMOV & THE HIDDEN CIRCUS, CONJUNTO!EVITE, COWS CAOS, CHINASKEE & OS CAMPONESES, ROYAL BERMUDA, I AM THE GHOST OF MARS, DR SPACE e GROAL.

São 42 nomes no total, das bandas estabelecidas ao talento emergente, e com um contingente nacional, fulcral na evolução do evento desde a primeira edição, bastante versátil. Junte-se a isto a parceria com a reputada editora londrina Fuzz Club, referenciada como um dos principais selos de rock psicadélico underground da Europa, que vai comemorar o 5º aniversário no Parque da Ribeira de Santarém, e é garantido que se vai ouvir alguma da melhor música alternativa actual, do metal ao rock, passando pelo indie, gótico e neo-psicadelismo, entre muitas outras tendências da música feita com guitarras, que se produz hoje no planeta.

O passe de dois dias para o REVERENCE SANTARÉM custa apenas €45 até ao próximo dia 15 de Julho, passando para €55 de 16 de Julho até 31 de Agosto. A partir de 1 de Setembro, o preço do passe de dois dias fixa-se nos €65 até à data do evento. Os bilhetes diários, por seu lado, custam €30 até 15 de Julho, passando este valor para €35 de 16 de Julho até 31 de Agosto. A partir do dia 1 de Setembro, o preço dos bilhetes diários fixa-se nos nos €40.

REVERENCE SANTARÉM 2017:
Cartaz encerrado!

MONO, OATHBREAKER e SIENA ROOT, entre outros, confirmados no REVERENCE SANTARÉM 2017.

MONO, GANG OF FOUR, OATHBREAKER, BO NINGEN e SIENA ROOT encerram o cartaz da edição de 2017 do REVERENCE FESTIVAL SANTARÉM, que decorre a 8 e 9 de Setembro, na idílica zona do Parque da Ribeira de Santarém, localizado nas margens do Rio Tejo. À curadoria da reputada editora londrina FUZZ CLUB, juntam-se agora os THE JANITORS, DEAD RABBITS e PRETTY LIGHTNING.

Uma das grandes surpresas da edição de 2017 do REVERENCE é a presença dos japoneses MONO. O quarteto propõe-se, nas suas próprias palavras, a “comunicar o incomunicável”, reflectindo as nuances de cada emoção humana em intensas viagens introspectivas de pós-rock expansivo. Após vários concertos esgotados nos últimos anos, a banda regressa a Portugal para um momento que certamente ficará na história do festival e na memória daqueles que o presenciarem.

Também depois de várias actuações memoráveis por cá, os OATHBREAKER regressa a Portugal para encabeçar o cartaz da 4ª edição do REVERENCE. Donos de um estilo muito próprio, a banda belga prova que é possível encontrar equilíbrio entre harmonia e agressão, sem que sejam feitas concessões para qualquer dos lados. Pelo que se tem visto e ouvido, será uma das actuações mais esperadas do festival.

Originalmente formados em 1997, os retro rockers suecos SIENA ROOT foram buscar o seu nome às “cores quentes” da Toscânia – uma explicação, no mínimo, misteriosa e enigmática para descrever a derivação de rock progressivo, psicadélico e duro, fortemente enraízado na tradição dos 70s, que domina a música debitada por Oskar Lundström, KG West, Sam Riffer e Love H. Forsberg.

Como anunciado anteriormente, o REVERENCE FESTIVAL SANTARÉM contará também com a participação dos MOONSPELL, AMENRA, ESBEN AND THE WITCH, SINISTRO, TRÄD, GRÄS OCH STENAR, HILLS, DESERT MOUNTAIN TRIBE, IS BLISS, DR. SPACE, GROAL e QUENTIN GAS & LOS ZINGAROS. O contingente nacional, fulcral na evolução do evento desde a sua primeira edição, fica completo com um respeitável lote de bandas emergentes, a saber: LÖBO, NÉVOA, WILDNORTHE, CONJUNTO!EVITE, COWS CAOS, PÁS DE PROBLÈME, ZARCO, ASIMOV & THE HIDDEN CIRCUS, GOSSAMERS, CHINASKEE & OS CAMPONESES, THE MELANCHOLIC YOUTH OF JESUS, CUT, TREN GO! SOUND SYSTEM, ROYAL BERMUDA, TWO PIRATES AND A DEAD SHIP, I AM THE GHOST OF MARS, IGUANA e F’RRUGEM.

MASTODON:
Vai ver o concerto à borla!

Cinco longos anos de ausência depois, os MASTODON regressam por fim a Portugal no dia 21 de Junho, próxima quarta-feira, para uma actuação em nome próprio na Sala Tejo da Meo Arena, em Lisboa. A LOUD!, em parceria com a Prime Artists, dá-te oportunidade de ir ao concerto à borla.

A cada disco novo que gravam, os MASTODON têm-se atirado sucessivamente de cabeça a novas experiências sonoras mirabolantes, que – sem fugirem muito ao esquema que delinearam desde bem cedo para a sua sonoridade – tem dado origem a alguns dos discos mais interessantes e desafiantes da última década. Das descargas colossais de «Remission» e «Leviathan» à atitude consideravelmente mais directa e orelhuda de «Once More ‘Round The Sun», passando por exigentes exercícios conceptuais como «Blood Mountain», «Crack The Skye» e «The Hunter», para cada lugar de destaque na tabela de vendas da Billboard, para cada concerto esgotado ou para cada nomeação para os Grammys, há uma colecção de grandes temas e sucessivas demonstrações de talento sem igual. A mais recente chama-se «Emperor of Sand», foi editada no dia 31 de Março e vai servir de mote a um muito aguardado regresso dos músicos norte-americanos a Portugal, marcado para 21 de Junho, na Sala Tejo da Meo Arena, em Lisboa.

[PASSATEMPO ENCERRADO]
Numa parceria com a Prime Artists, a LOUD dá-te oportunidade de ir ao concerto dos MASTODON — à borla. Para tal, basta enviarem-nos um e-mail para o endereço geral@loudmagazine.net com o assunto “QUERO IR VER OS MASTODON!!!”, o vosso nome completo e número de BI/CC. Ganham os mais rápidos!

VENCEDORES:
Luís Alexandre Lores Custódio
Ricardo Paulo Pimenta Gandrita
Manuel José Mora Marques

VOA 2017:
Cartaz encerrado!

Pioneiros do death/grind e do black metal juntos no mesmo cartaz, CARCASS e VENOM confirmados no VOA – Heavy Rock Festival.

Os icónicos CARCASS e VENOM são as derradeiras adições ao cartaz da edição de 2017 do VOA – Heavy Rock Festival, fechando assim o alinhamento de um evento que, como paragem obrigatória na época estival para qualquer melómano, se realiza pelo segundo ano consecutivo no Parque Urbano Quinta de Marialva. Nos dias 4, 5 e 6 de Agosto, o aprazível anfiteatro de Corroios vai receber dois dos mais lendários nomes de que há memória nas últimas décadas no cenário da música extrema.

Dois projetos conterrâneos, ambos são britânicos, surgidos em duas décadas distintas, uns na de 80 e outros na de 90, mas igualmente fulcrais e referenciais na proliferação de quatro das tendências – o death/grind/gore e death melódico, no caso dos primeiros; o thrash e black metal no caso dos segundos – que mais bandas produziram no movimento underground pré-Séc. XXI e que continuam a ter um impacto inegável em muito do que se faz hoje em dia nesses espectros.

Exemplos claros de perseverança, apesar dos hiatos e de várias reanimações, tanto os CARCASS como os VENOM mostram uma vitalidade de fazer corar de inveja muitas bandas mais jovens e, sobretudo, continuam a exorcizar uma dedicação à causa que não é, de todo, comum na sociedade frenética em que vivemos. O cartaz do VOA – Heavy Rock Festival fica assim encerrado, com um total de 24 bandas a passarem pelo Parque Urbano Quinta de Marialva, em Corroios, entre 4 e 6 de Agosto.

Os bilhetes custam 65 euros (passe três dias) e 35,00 euros (bilhete diário), à venda nos locais habituais. Fã Pack passe + t-shirt oficial do festival já à venda. Mais informação aqui.

LLNN/WOVOKA: «Marks/Traces» [estreia]

Ouve aqui, em avanço exclusivo, o lançamento partilhado entre os dinamarqueses LLNN e os norte-americanos WOVOKA, intitulado «Marks/Traces».

Pouco mais de um ano após o lançamento da explosiva estreia «Loss», os dinamarqueses LLNN, que incluem ex-elementos dos The Psyke Project, estão de volta às edições com um potente split como os norte-americanos WOVOKA. O disco chama-se «Marks/Traces» e tem edição agendada para o próximo dia 16 de Junho através da Pelagic Records. No total são quase 40 minutos de música nova, que apresentamos aqui em estreia absoluta.

Pré-encomenda e mais informação aqui.

DYING FETUS:
Concerto em Novembro

Veteranos do death metal mais brutal estreiam a novidade «Wrong One To Fuck With» em Lisboa.

Os DYING FETUS, um dos nomes mais famosos no underground da música extrema pós-boom dos 90s, vão actuar em Lisboa a 12 de Novembro. É esse o dia marcado para o impacto da The Wrong Tour To Fuck With com a plateia do Lisboa Ao Vivo, numa noite em cheio para os fãs do death metal contemporâneo em todas as suas vertentes, e que inclui ainda os PSYCROPTIC, os BEYOND CREATION e os DISENTOMB como bandas de suporte.

Porta-estandartes da fação mais extrema do death metal ao longo das últimas duas décadas e meia, os norte-americanos DYING FETUS transformaram-se no reflexo perfeito do que é construir uma carreira apoiada em largas doses de autoconfiança e integridade musical. Com raízes fortes na “cena” do death metal underground, a banda liderada por John Gallagher, fundada em 1991, foi amadurecendo ao longo dos anos e, pelo caminho, arrastou a tendência para o novo milénio, sendo vista como referencial em movimentos bem mais recentes, como é o caso do deathcore. Daí que, hoje em dia, sejam uma proposta tão apetecível para a geração old school como para os novos fãs do extremismo sonoro. Criados em 1991, no auge da explosão do underground, os DYING FETUS são hoje reconhecidos mundialmente como um dos principais nomes dentro do death metal e um excelente exemplo de perfeição no que toca à composição de música rápida, brutal, técnica, carregada de balanço e tão ameaçadora quanto possível. São, de resto, esses os adjectivos que os mantiveram fiéis a uma matriz testada com sucesso e que, por esta altura, já deu origem a sete álbuns de estúdio – a saber, «Purification Through Violence» (de 1996), «Killing On Adrenaline» de 1998, «Destroy The Opposition» de 2001, «Stop At Nothing» de 2003, «War Of Attrition» de 2007, «Descend Into Depravity» de 2009 e «Reign Supreme» de 2012. O mais recente exemplo da força que mantêm um quarto de século depois de terem dado os seus primeiros passados chama-se «Wrong One To Fuck With» e é um manifesto de intenções líricas e musicais, que eleva a fasquia da extremidade no primeiro material inédito que disponibilizam em cinco anos.

Bilhetes á venda a partir do dia 12 de Junho.

COBALT:
Cancelam tour depois de acidente “macabro”.

Charlie Fell incapacitado, banda norte-americana cancela digressão.

Os COBALT, que passaram recentemente pelo SWR Barroselas XX, onde assinaram uma das actuações mais memoráveis de todo o evento, viram-se recentemente forçados a cancelar a sua mais recente digressão norte-americana, na sequência de um acidente que vitimou o vocalista Charlie Fell na última data da digressão europeia que levaram a cabo durante o mês de Abril na companhia dos finlandeses Oranssi Pazuzu.

No mais seu mais recente post no Facebook, datado de 2 de Junho, o grupo norte-americano explica todos os comos e porquês:

Estamos desapontados por ter de anunciar que as datas da nossa digressão de Verão nos Estados Unidos terão que ser adiadas devido a uma séria lesão incorrida na tour europeia com os Oranssi Pazuzu. No final do último concerto, em Poznan, na Polónia, o Charlie correu para o palco no final do espectáculo dos Oranssi, saudou o público e enviou uma última despedida aos fãs por terem aparecido nos concertos. A dado momento, alguém da plateia chegou para abraçá-lo, e o Charlie caiu do palco, pousando desamparado, e com uma enorme força, o pé esquerdo no chão. Partiu o pé em vários sítios e foi rapidamente levado para um hospital na Polónia.

Com o concerto explosivo do SWR e, particularmente, a alucinada de prestação de Charlie Fell na cabeça, ler a primeira metade do comunicado já nos deixa agoniados, mas nada nos poderia ter preparado – portanto, imagine-se quem esteve envolvido – para o que íamos ler a seguir. E é aqui que as coisas dão a proverbial curva para o “macabro”.

No hospital polaco, que obviamente não tinha as tecnologias mais avançadas, disseram-nos que talvez tivessem de AMPUTAR o pé do Charlie! Nós dissemos perentoriamente que não, essa não era uma opção. Decidimos então conduzir a noite toda para regressar a Berlim e admitimos o Charlie num hospital alemão melhor. Após extensa cirurgia reconstructiva, o Charlie teve de ficar uma semana extra em Berlim e, finalmente, regressou aos Estados Unidos na semana passada. Agora vai precisar vários meses de recuperação até conseguir pôr-se novamente em pé. Ainda considerámos ainda fazer a próxima digressão com o Charlie numa cadeira de rodas, mas o risco de danos adicionais é muito alto para justificar essa opção. Por enquanto, lamentamos anunciar que as datas actuais da digressão deste Verão nos Estados Unidos serão canceladas. A boa notícia é que estamos a adiar e remarcar todos os concertos para o final deste ano, depois do Charlie estar curado. Portanto, vamos actuar nas mesmas cidades e locais, apenas num momento posterior. Isto é algo que está totalmente fora de nossas mãos, e esperamos que todos entendam e possam aparecer nos espectáculos no final deste ano. Obrigado!

Obrigado nós pela perseverança depois de passarem por uma situação como esta.
As sinceras melhoras para o Charlie, por parte de toda a equipa da LOUD!.